INICIANDO O TRATAMENTO

PATOLOGIAS

A Casa da Criança Paralítica de Campinas é especializada no tratamento de reabilitação para crianças e adolescentes com deficiência física. As patologias que atinge o sistema motor mais frequentes são:

Paralisia Cerebral (PC)

É uma desordem do movimento e da postura causados por uma lesão no cérebro em desenvolvimento. Esta lesão provoca alterações no controle dos movimentos, resultando na dificuldade da criança em manter a postura e realizar movimentos normais. Uma criança com PC pode apresentar, por exemplo, uma maneira diferente para andar ou uma inabilidade para segurar objetos, para falar ou deglutir.

Mielomeningocele 

A Mielomeningocele  é uma malformação congênita da coluna vertebral, que ocorre no primeiro mês da gravidez.  A criança nasce com a medula espinhal exposta e por isso, os órgãos e membros inferiores ficam prejudicados, perdendo o movimento. 

Hidrocefalia

Com o fechamento da mielomeningocele (coluna exposta) a maioria das crianças desenvolve Hidrocefalia, que é o aumento do líquido cefalorraquiano. O tratamento da Hidrocefalia é feito por procedimento cirúrgico e consiste na colocação de uma válvula de derivação ventrículo-peritoneal. Os problemas associados à hidrocefalia são: bexiga e intestino neurogênico, alergia ao látex, problemas ortopédicos, deficiência cognitiva e outros.

Distrofia muscular progressiva

As distrofias englobam um grupo de doenças hereditárias genéticas caracterizada por uma degeneração progressiva dos músculos, sendo a mais comum e também a mais severa, a Distrofia Muscular Progressiva de Duchenne (DMD), que atinge principalmente meninos. A DMD se manifesta por volta de 3 a 5 anos de idade, quando a criança começa apresentar quedas frequentes, dificuldades para levantar do chão, para subir e descer escadas e para correr.

 

Como iniciar o tratamento na Casa da Criança Paralítica

Qual é o público atendido na instituição?

A Casa da Criança é especializada em reabilitação infantil. A idade para admissão ao tratamento é de 0 a 12 anos. Apesar da admissão ser até 12 anos, o atendimento pode ser estendido até a juventude, dependendo da necessidade individual de cada paciente.

O que é preciso fazer para iniciar o tratamento?

 

A família da criança deve passar por especialistas da área médica no setor de saúde público ou privado e receber o encaminhamento para o tratamento de reabilitação. A instituição, por ser conveniada ao sistema de saúde público, não pode admitir a criança no tratamento sem o encaminhamento de um médico.

Como é feita a admissão?

Ao chegar na Casa da Criança com o encaminhamento médico, uma avaliação clínica é agendada para analisar e avaliar a patologia. Após o diagnóstico, a criança é admitida ao tratamento na Casa da Criança ou encaminhada para outra instituição especializada.

Como funciona o tratamento?

Após a admissão, é aberto um prontuário do paciente com a programação do tratamento, bem como outras atividades que complementam a reabilitação. Neste momento, a família e a instituição constrói uma parceria sólida e de comprometimento mútuo para alcançar o potencial máximo da criança, que inicia uma linda fase de transformação.

Subir